quinta-feira, 26 de julho de 2012

Existem 5.000 variedades de batata, mas no mercado só se encontra a inglesa

Uma das muitas críticas à agroindústria é nos privar das espécies nativas, padronizando a alimentação pela monocultura de poucas espécies, as mais rentáveis industrialmente.
A agricultura familiar, além de cultivar espécies nativas em produção orgânica, mantém a tradição das sementes aprimoradas ao logo dos anos sem qualquer intervenção genética ou registro de patente.
Junto com a soja e o milho, a batata é um dos cultivos mais visados pela agroindústria justamente por ser a base da alimentação de diversos povos, além de prestar-se à tantos substratos de produtos industriais, pela massa de amido e fécula obtida.

As batatas nativas, mais rústicas, não são precisas como as batatas inglesas idênticas na gôndola do supermercado e são exatamente essas "imperfeições" que trazem mais nutrientes e menos toxinas. As batatas inglesas transgênicas da agroindústria, além de pulverizadas por agrotóxicos, são naturalmente mais tóxicas do que qualquer outro tubérculo. A batata convencional, por ser mais frágil, desenvolveu ao logo dos séculos toxinas naturais como mecanismo de defesa dos predadores naturais.
Observe que segundo a Macrobiótica, os únicos 2 legumes proibidos são o tomate e a batata inglesa, o tomate pela acidez e a batata pela toxidade natural, independente do cultivo.

A batata inglesa apodrece logo e não deve ser consumida de forma alguma depois de ter esverdeado e aparecido brotos por causa de uma substância tóxica, a solanina.




Eu tenho o hábito de só usar em minhas receitas batata doce, baroa ou mesmo aipim e inhame, os 2 últimos não são da mesma família, mas também são tubérculos e proporcionam o mesmo ponto até em pães caseiros.
Não compro batata inglesa há muitos anos, ganho em sabor e saúde. Nas Feiras Orgânicas, encontra-se mais batata doce, baroa, inhame, aipim e até beterraba e abóbora do que a batata inglesa, facilitando ainda mais a minha vida.
Aqui no blog, você poderá encontrar muitas receitas com batatas distintas à inglesa, mesmo um caldo verde feito em batata baroa, um pão doce de inhame com chocolate e uma tortilla em batata doce.
Os resultados são sempre supreendentes e deliciosos, vale a pena tentar.

Deixo então minhas receitas favoritas com batata, que podem e devem ser feitas com todas as espécies de batata encontradas:


Batatalhau de forno - receita minha
Fatie grosseiramente batatas à sua escolha
Polvilhe sal, pimenta, ervas finas, alecrim, gengibre em pó ou mesmo curry e cardamomo
Junte 1 mão cheia de pimentas rosas em grão (não ardem, apenas perfumam)
Regue com azeite
Junte dentes de alho inteiros, cebola cortada em gomos grossos e, se tiver, grão de bico cozido al dente e pimentão vermelho em tiras largas.
Misture tudo tendo cuidado para não partir as batatas
Regue com iogurte orgânico caseiro o suficiente para cobrir
Leve para assar em pirex tampado
Acompanha arroz integral com lentilhas, pûre de abóbora, abobrinhas, tomates, pimentão e berinjelas grelhadas, cuscuz marroquino de semolina ou de milho à paulista, salada de trigo ou cevadinha em grão com palmito de açaí, farofa caseira de ovo com banana feita em metade de mandioca com metade de germe de trigo ou aveia...


Batatas rústicas - receita popular, não tem coisa mais fácil!
Fatie batatas grosseiramente
Disponha em pirex ou tabuleiro
Regue com azeite, alecrim, sal grosso e disponha dentes de alho inteiros
Cubra com alumínio ou a tampa do pirex, caso haja tampa
Asse por pelo menos 15 minutos
Polvilhe mais alecrim fresco depois de assada


Batata Harra - receita popular libanesa, barata e sofisticada
5 batatas médias
3 cebolas picadas
1 xic de coentro picado (ou meia xíc. de coentro e meia de salsa finamente picada)
Azeite, sal e pimenta do reino à gosto
Cozinhe as batatas no vapor em pouca água por 15 minutos. Transfira para uma tigela.
Refogue a cebola no azeite até dourar. Junte o coentro, misture bem e desligue o fogo. Reserve na frigideira.
Amasse as batatas grosseiramente com um garfo e tempere com sal e pimenta-do-reino. Transfira para uma travessa e cubra com o refogado de cebola. Sirva quente.


A salada de batata do Bar Luiz - considerada a melhor do país
1/2 xícara de chá de óleo vegetal de boa procedência (prefira sempre azeite)
1/4 xícara de chá de azeite
2 colheres de sopa de salsa picada
2 colheres de sopa de vinagre
1/2 colher de sopa de mostarda
1/2 colher de chá de pimenta do reino branca
1 kg de batata (cozidas e descascadas cortadas em fatias finas pelo comprimento)
2 unidades de gema
sal a gosto
Bata no liquidificador, as gemas, metade do vinagre, mostarda, sal e pimenta. acrescente o óleo e o azeite em fio. Junte o vinagre restante e bata mais até engrossar.
Misture a maionese às batatas que ja devem estar frias. Salpique a salsa e sirva.
Fontes: Yahoo e Receitáculo

Site oficial do Bar Luiz, patrimônio cultural carioca citado no Guia carioca do Slow Food: Bar Luiz



Batata rostie simples, fotos recicladas da postagem As aventuras de uma panela elétrica quadrada







Tortillas
Na foto abaixo o passo a passo de uma tortilla simples de batata doce previamente cozida com açafrão da terra fresco e um restinho de gorgonzola. Acompanhou agrião ao alho e azeite.












Batata frita? A postagem Ok, você venceu: batata frita! diz a que veio.



Maionese de batata? Que tal em batata baroa em rodelas com Maionese caseira em abacate ou cenoura, muitas azeitonas pretas (ou tomate seco vermelho) e cebolinha picada por cima. Uma salada saudável, festiva e colorida.



Para ver outra foto, dessa vez minha com algumas das milhares de variedades de milho crioulo, vá na postagem "RIO+20: a Cúpula dos Povos"




Mais receitas com batata?
Pão de queijo
Sopinhas Rehab
Milanesas e pûres
Ok, você venceu: batata frita!
Pão de batata doce com cebola e de inhame com chocolate
Caldos, a tradição alimentar para muita gente e pouco recurso



Maioneses e patês em geral?
Pestos
Chutneys
Iogurte e kefir
Caviar e ceviche
Azeites aromatizados e manteigas de legumes
Ketchup, mostarda e maionese caseiros (+ uma receita de salada de maionese sem maionese)

2 comentários:

Marbene Araujo Bueno disse...

Olá Carolina, boa tarde!

Excelente post, de muita valia no campo de pesquisas futuras.

Favoritei-o com muito gosto.

Grande abraço.

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Olá Marbene,
seja bem vindo!
Obrigada :-)