quinta-feira, 3 de março de 2011

Pão de raízes em 2 versões: batata doce com cebola e inhame com coco e chocolate


Uma das receitas que mais faço é um pão-bolo de banana, 100% integral, orgânico e sugar free, que também aparece no Natal Sustentável como opção de panetone.

Esse pão-bolo não sola de jeito nenhum e pode ser feito trocando a farinha por aveia ou fubá, fica muito bom da mesma forma. Imagino também que renda um ótimo bolo de cenoura com calda de chocolate ou até um bolo de aipim como coco, basta adaptar e ter boa vontade e criatividade.

Ele também pode e deve ser feito em versão salgada, substituindo as bananas por abóbora, inhame e mandioquinha cozidos e amassados grosseiramente. O melado sai e o azeite continua, pode ser adicionado um copinho de leite de coco caseiro da mesma maneira, assim como os bagaços residuais. Mas, no lugar das castanhas moídas, uso azeitonas picadas, cenoura crua ralada, tomate seco picadinho, cogumelos, cheiro verde fresco, manjerona e oréganos secos, além de alho frito e alecrim por cima antes de assar. Fica ótimo, um pão rústico e caseiro, com gosto de fazenda que, acompanhando uma salada verde, é uma refeição completa.

As variações são muitas e as farinhas podem ser trocadas por partes de fubá, aveia, germen de trigo, ou mesmo a combinação de todas, que já existem nas versões orgânicas a bons preços. Como mencionei na postagem sobre a tapioca de banana com coco em doce de leite de tahine com melado, é importante adotar outras farinhas, o Brasil importa 50% do trigo consumido internamente e a variedade na alimentação só nos beneficia. Buscar novas alternativas, além de mais saudável, estimula os produtores orgânicos locais e a diversidade de cultivo - ganhamos todos em qualidade e quantidade.



Numa das fotos abaixo, deixo propositalmente as embalagens de farinhas de trigo integral e milho, ambas orgânicas, com preços aparentes: 1kg de farinha de trigo integral e orgânica custou R$3,60, já meio quilo da farinha de milho orgânica, custou módicos R$1,80 e duram pelo menos 4 fornadas de receitas duplas dos pães.
As castanhas, frutas secas, especiarias e ervas secas são todas encontradas a granel até em versões orgânicas, economizando dinheiro e muitas embalagens.

Um dia resolvi tentar e fiz em abóbora hokaido cozida, no lugar da banana, ficou sensacional. Podendo ser feito doce ou salgado, como vou descrever abaixo

Decidi então fazer outras 2 versões para variar:
Pão salgado de batata doce com cebola e Pão doce de inhame com coco e chocolate


Segue a receita básica do pão-bolo de banana:

Pão-Bolo 100% integral e sugar-free - receita básica de 5 ingredientes
6 bananas bem maduras
1/2 xí­cara de melado (ou rapadura ralada)
1/4 xí­cara de óleo extra virgem aromatizado e orgânico, e mais um pouco para untar a travessa (você pode usar qualquer óleo vegetal, mas não use óleo de soja) - eu uso o huile de noix
1 1/2 xí­cara de farinha de trigo integral
1 1/2 colher de sobremesa de fermento biológico

O que mais pode levar que dá certo (colheres sempre rasas, todos os sabores são fortes):
1 colher de sopa de canela em pó
1 colher de sobremesa de cravo em pó
1 colher de sobremesa de gengibre em pó
1/2 de colher de sobremesa de noz moscada ralada
1 colher de sopa de extrato de baunilha
1 xí­cara de castanhas picadas (do Pará, nozes, amêndoas, avelâs, etc)
1 xí­cara de frutas secas picadas (damasco, passas, ameixas, tâmaras, banana passa, etc)
1/4 xícara de raspas da casca de um limão galego ou laranja orgânicos
1 xícara de leite de coco caseiro + 1 xícara do bagaço residual (ou o mesmo para leite caseiro de castanha do Pará)
1/2 xicara de cacau em pó (já existe orgânico)
1 colher de sopa de café instantâneo orgânico (ou 1/2 xícara do café pronto em versão líquida)

Modo de fazer:
Pré-aqueça o forno e unte levemente uma travessa refratária
Amasse as bananas e misture com os ingredientes molhados (melado, leite de coco, óleo e baunilha)
Adicione as frutas e castanhas
Em outro recipiente, misture bem os ingredientes secos (farinha de trigo, fermento, canela e sal)
Misture bem todos os ingredientes e passe para o refratário untado
Asse por cerca de 40-45 minutos

Para obter um pão-bolo mais doce, dobre a quantidade de melado-rapadura ou junte meia xícara de passas, ameixas ou tâmaras hidratadas de véspera e batidas no liquidificador, como uma geleia crua. Para que o bolo não escureça, importante se for fazer em banana, cenoura, aipim ou abóbora, use passas claras.



Para fazer o mesmo pão-bolo, mas salgado com raízes como abóbora hokaido (japonesa), inhame ou batata doce, como na foto acima, leia a receita abaixo:

Pão de batata doce com cebola
06 batatas doces orgânicas cozidas e amassadas (são menores e exatamente do tamanho de uma banana fazem perfeitamente as 12 col de sopa cheias de batata doce cozida (ou inhame e abóbora japonesa "hokaido")
1/4 xí­c. de óleo extra virgem aromatizado e orgânico, e mais um pouco para untar a travessa
(você pode usar qualquer óleo vegetal, mas não use óleo de soja) - eu usei azeite extra-virgem
2 xí­c. de farinha de trigo integral (ou fubá e aveia em flocos em combinação desses cereais com a farinha em proporção meio a meio)
1 1/2 colher de sobremesa (1 pacote-envelope) de fermento biológico
sal, pimenta, cominho, cheiro verde e manjericão frescos picados, orégano e manjerona seca, alecrim desidratado

Opcionais:
1 cebola crua ralada
1\4 de xíc. de alho frito no azeite
1\2 xíc. de tomates secos picados (ou azeitonas)
1\2 xíc. de cenoura crua ralada
1\2 xíc. de qualquer raiz cozida al dente em cubos (se fizer o pão em batata doce, use abóbora, inhame ou baroa para dar um sabor contrastante e vice-versa)
Amasse muito bem todos os ingredientes com as mãos, exceto as raízes cozidas em cubos, que só entram quando a massa já estiver uniforme, para que não desmanchem nem se misturem à massa base.
Espere 1hr para que a massa cresça e coloque na travessa untada.
Pré-aqueça o forno e unte levemente uma travessa refratária.
Asse por 40-45 minutos.



Importante: tudo deve ser amassado com as mãos; no liquidificador vira uma panqueca! A receita não funciona com batata inglesa, batata baroa ou abóbora brasileira como base, todos tendem a "aguar" e o pão não vai crescer. Já a batata baroa e a abóbora brasileira (vendida também como sergipana ou baiana) podem ser adicionados em cubos, quando for usada outra raiz como base (inhame, batata doce ou abóbora japonesa).
Não cozinhe suas raízes em panela de ferro, oxida e escurece. Cozinhando tubérculos, escolha as panelas de barro, pedra ou inox.

Para fazer um pão com gosto mais pronunciado de tomate seco (ou azeitonas), bata no liquidificador a quantidade indicada dos mesmos (1\2 xíc) com a quantidade indicada de azeite (1\4xíc), até formar uma pasta uniforme. Junte essa pasta de tomate seco à massa base do pão de raízes e você terá um pão de tomate seco vermelho e de sabor muito pronunciado. Fazendo com azeitonas, seu pão poderá ficar verde claro ou mesmo arroxeado, permitindo centenas de combinações multicoloridas.

Tomate seco e azeitona são sabores fortes e podem "roubar" completamente o gosto da batata doce e abóbora hokaido usados na base. Para que isso não aconteça, quando fizer seu pão de raízes com a pasta de tomate seco (ou azeitonas), faça a massa base em inhame, cujo sabor neutro nunca predomina sobre os acompanhamentos opcionais. Se usar ambos, tomate e azeitonas, apenas picados, qualquer uma das 3 raízes, está liberada para a base da massa.



Para fazer um pão mais amarelinho, quase laranja, use a metade da quantidade indicada de farinha em fubá de milho (pães de farinha de trigo integral são mais escuros naturalmente), escolha a abóbora hokaido como raiz de base e cenouras raladas como opcionais. Não use nesse caso a pasta de tomate seco e a azeitona, apenas picados novamente. A batata baroa ou doce cozidas em cubos estão liberadas por serem amareladas também.





Pão doce de inhame com coco e chocolate (assado na foto acima)
Segui a receita tradicional do pão-bolo, mas troquei as bananas amassadas por inhames cozidos e amassados.
Assim:
6 inhames médios cozidos e amassados (orgânicos são menores, use 12 col de sopa de medida de comparação)
1/2 xí­cara de melado (ou rapadura ralada)
1/2 xí­cara de óleo extra virgem aromatizado e orgânico, e mais um pouco para untar a travessa
(você pode usar qualquer óleo vegetal, mas não use óleo de soja)
2 xí­caras de farinha de trigo integral (ou fubá e aveia em flocos em combinação desses cereais com a farinha em proporção meio a meio)
1 1/2 colher de sobremesa de fermento biológico

Juntei a xícara de leite de coco caseiro e mais 1 xícara de coco ralado seco, além de chocolate meio amargo orgânico picado em cubos.
Misturei tudo com as mãos, temperei com canela e gengibre em pó e levei para assar normalmente
Ficou muito gostoso.



E as cascas das raízes cozidas não foram para o lixo, mas devidamente devoradas pela Margarida, que come até casca de melão:





Mais receitas caseiras:
Adoçantes naturais
Panetone, Xmas Fruitcake e Bolo Português de maçã e amêndoas

5 comentários:

paloma disse...

que delícias! vou tentar fazer. bjs

Jorge disse...

Obrigado, o blog é ótimo!

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Oi amigos, façam sim, em todas as variações possíveis. Fazer pão de raizes é uma terapia (gratuita e saborosa).

abs,
Carol

Edith disse...

Tô namorando essas receitas há um tempo, essa semana vou fazer =)

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Pessoal, refiz a receita usando mais meia xícara de farinha - num total de 2 xícaras - e deu super certo, ficou até melhor: cresceu mais.
Na verdade, ainda coloquei mais 1 xícara de coco ralado e outra xícara de leite de coco e, apesar do medo de ficar um pouco seco, virou o pão perfeito.
Alterei a postagem.

abs!