sábado, 15 de maio de 2010

Reciclagem de Eletroeletrônicos

Mais uma boa dica do Instituto Akatu.

Em tempo, somos recordistas mundiais, já que o relatório divulgado pela ONU no início do ano classificou o Brasil como o maior produtor de lixo eletrônico entre os países emergentes, com uma média de meio quilo por habitante por ano.

Ainda, o link para a listagem dos locais de descarte.


Mais informação: lixo eletrônico pode virar trilho de trem e aparelho telefônico.


Vídeo abaixo traz boas dicas de como proceder com o lixo eletrônico produzido:




A reportagem do Akatu na íntegra:

Site orienta consumidores no descarte de resíduos eletroeletrônicos


Além de auxiliar consumidores no processo de descarte de eletroeletrônicos, serviço informa sobre programas de logística reversa realizados por fabricantes do setor

Desde segunda-feira última (10/4), consumidores de todo o Brasil contam com um serviço online de informações sobre programas de logística reversa realizados por fabricantes de eletroeletrônicos. No mesmo site há também orientações para o descarte correto de televisores, computadores, celulares e outros resíduos eletroeletrônicos. Trata-se do hotsite “Eletroeletrônicos”. Para acessá-lo, clique aqui.

A iniciativa é do Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre) e foi lançada durante a cerimônia de assinatura de uma parceria entre o Cempre e o Ministério do Meio Ambiente (MMA). O convênio prevê a produção conjunta de um estudo qualitativo preciso sobre o atual cenário e as atividades do setor de eletroeletrônicos. O mapeamento servirá como base de orientação das políticas públicas que regulamentam o setor.

Na ocasião, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, declarou que a iniciativa reflete a junção da gestão pública ambiental com a iniciativa privada para a formatação de um diagnóstico preciso sobre as atividades de reciclagem de eletroeletrônicos no Brasil. "Para ser sério, um estudo deve passar necessariamente pela iniciativa privada, que é quem detém os números de mercado do setor", defendeu.

Victor Bicca, presidente do Cempre, ressaltou a postura pro-ativa da parceria já que foi firmada mesmo antes da aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos. "O estudo vai orientar políticas públicas para a reciclagem e vai revelar de fato onde estão os principais entraves para a reciclagem dos eletroeletrônicos no Brasil".


Política Nacional de Resíduos Sólidos

Depois de tramitar por quase 20 anos na Camara dos Deputados, a proposta da Política Nacional de Resíduos Sólidos foi aprovada em março último e está prestes a ser votada pelo Senado. A expectativa é que a lei seja sancionada pelo presidente da República no Dia Mundial do Meio Ambiente, que se comemora em 5 de junho.

Na prática, a proposta obriga os fabricantes a realizar a logística reversa, que consiste no reconhecimento de seus produtos pós-consumo. Segundo o Cempre, apenas 12% das 170 mil toneladas do lixo urbano produzido diariamente no Brasil é reciclado. Aprovada a lei, prevê-se que o Brasil passe a reciclar 25% do material até 2015.

Um relatório divulgado pela ONU no início do ano classificou o Brasil como o maior produtor de lixo eletrônico entre os países emergentes, com uma média de meio quilo por habitante por ano. Número acima dos chineses e indianos, com 250g e 100g, respectivamente. Clique aqui para ler o relatório na íntegra.


Mais informação:
Onde descartar lâmpadas, baterias e termômetros com mercúrio
Sem obsolescência programada e com garantia de 25 anos, mas não se encontra em lugar nenhum

Nenhum comentário: