sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Gelatina


Gelatina não é recomendada para crianças
Saborosa, colorida, de baixo custo, a gelatina em pó é achada com facilidade em diversos supermercados. Essa sobremesa é uma mistura de corantes artificiais, açúcar e/ou edulcorantes, aromatizantes e conservantes. Por contar, porém, com corantes como o amarelo crepúsculo, ela não deveria fazer parte do cardápio infantil. Os adultos podem consumi-la, mas com moderação.
Os esclarecimentos são da Associação Brasileira de Defesa do consumidor (PROTESTE), que avaliou onze pós para gelatina de sabor morango (4 na versão tradicional, 4 na diet e 3 na zero). As marcas pesquisadas foram Bretzke, Doce Menor, Dr. Oetker, Royal e Sol.
O excesso de açúcar, de acordo com a Associação, pode favorecer a obesidade infantil. Sugere-se, portanto, às crianças com idade entre 1 e 3 anos, em um lanche, ingerir até 3,9gr. de açúcar. De 4 a 6 anos, no mesmo tipo de refeição, no máximo, 5,4 gr. E para adultos, até 7,5gr.
Na versão tradicional das marcas Bretzke e Sol, a pesquisa demonstrou que há quantidade excessiva de açúcar para crianças e adultos, além da ausência de edulcorantes. A Bretzke, com a mais alta taxa entre as marcas examinadas, apresenta 10,9gr. de açúcar por porção (equivalente a 120gr. ou um copo de gelatina pronta). A Sol contém 8,8gr.. A média das versões tradicionais, além de açúcar, possuem edulcorantes. Não são recomendadas portanto nem para crianças, nem para gestantes.
Em todas as marcas, os corantes Bordeaux S e amarelo crepúsculo estão presentes, com doses bem acima do limite máximo estabelecido. Somente a Dr. Oetker Diet está dentro do limite correto para o Bordeaux S. O amarelo crepúsculo está atrelado à hiperatividade infantil e a outros distúrbios de comportamento em crianças suscetíveis. No Reino Unido, o emprego desse aditivo é proibido.

Colágeno
Em uma porção de 120gr. de gelatina pronta, na Bretzke tradicional, foi encontrado 0,76gr. de colágeno (proteína gelatinosa). Na Doce Menor Diet e na Dr. Oetker Diet, 2gr. Alguns estudos afirmam que consumir 10gr. diárias de colágeno traz benefícios à saúde, embora não haja consenso, entre os especialistas. Para alcançar essa quantidade, entretanto, a ingestão diária deveria ser de 5 copos de gelatina das marcas com maior quantidade de colágeno. Uma dieta equilibrada, com o consumo adequado de proteínas, é suficiente para uma pessoa saudável alcançar o nível ideal dessa substância.

Alimentos mais saudáveis e reivindicações da PROTESTE
A professora da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), nutricionista Edira Gonçalves, advertiu que as crianças são as mais vulneráveis aos corantes em geral, cuja ingestão excessiva pode debilitar o sistema imunológico.
Em uma pesquisa divulgada na “Revista Ciência e Tecnologia de Alimentos” em 2008, segundo a nutricionista, estudou-se o consumo, por 150 crianças, de gelatina, de refresco em pó e de refrigerante. Entre elas, foi considerado o uso habitual desses alimentos. Em relação à gelatina, em 95% dos casos, a ingestão começa a ocorrer com crianças até um 01 de idade.
Pesquisadora de alimentos vinculada à PROTESTE, a nutricionista Manuela Dias disse que os pais devem orientar os filhos a consumir alimentos mais saudáveis, como frutas e iogurtes. “Como a gelatina é docinha e colorida, as crianças gostam. Mas é um alimento totalmente artificial, não tem nada de morango, por exemplo, só o aditivo.”, completou.
Entre outros problemas achados nos rótulos das gelatinas, na pesquisa, observou-se que em todas as versões da Bretzke, está registrada a data de fabricação, mas não de modo muito claro ao consumidor. Na versão tradicional da Sol, a situação é a mesma. As outras marcas de gelatina não informaram a data de fabricação no rótulo.
A associação criticou ainda a falta de legislação específica no Brasil, para gelatinas em pó, defendendo a criação de normas reguladoras para esse alimento. O objetivo é proporcionar a definição de alguns parâmetros, como limite de açúcar e quantidade de colágeno e proteína.

Fonte:
Revista Izunome, junho de 2009.





Receitas alternativas de "gelatina" sem gelatina industrializada: 



Gelatina caseira básica (em algas marinhas)
Algas marinhas têm tanta proteína quanto a carne vermelha, vale experimentar
1 col de sopa cheia (ou 1 pacote de 30gr.) de agar agar em pó
1 lt de qualquer líquido.
Ferver o líquido, adicionar a alga em pó, misturar bem e levar à geladeira
Sugestões: suco da casca do abacaxi com hortelã e pedaços de abacaxi, suco de manga (ou melancia ou melão) com gengibre, suco de caqui com raspas de limão, suco de morango com pedaços de Geleias de frutas vermelhas, leite de coco caseiro com coco ralado e geleia de ameixa...
Adoçar os sucos com melado de cana e usar o mínimo de água no processo.


Refresco de gelatina
As crianças adoram e os adultos também vão gostar, especialmente os que estiverem de dieta, já que esse refresco gelatinoso fornece sensação de saciedade.
Faça a gelatina normalmente como ensinado acima, mas use o dobro da quantidade de líquido sugerida e guarde em jarras de vidro na geladeira. Dilua sempre em água, sucos grossos são ricos em frutose e entram direto no sangue.
Veja receitas de mousses de frutas cruas e adapte ao refresco, fica delicioso



Mousse de frutas cozidas com gelatina de algas marinhas
1 pacote de Agar Agar dissolvido em 1 xícara de água fervente
1 col chá de raspa de limão
1 col chá canela em pó
2 xícaras frescas ou cozidas (receitas no link acima)
Dissolvida a gelatina, junte todos os ingredientes no liquidificador, bata tudo e ponha para gelar.


Mousse cremosa de fruta com geleia
3 copos de creme de arroz (ou o equivalente em creme de leite-iogurte, prefira os orgânicos)
1 pacote de agar agar
1 copo de 200ml de água fervendo (ou suco de sua preferência, ou caldo de cana)

geleia de cupuaçu, morango, ameixa... ou mesmo a goiabada cascão na rapadura. Dissolver o agar agar em água antes de misturar ao iogurte, que não deve ser fervido.
Bater no liquidificador o iogurte com o agar agar dissolvido, juntar a geleia depois ou mesmo levar tudo ao liquidificador, se preferir.
O iogurte pode ser adoçado com
melado.


Mousse de azeitona (ou pimentão vermelho ou tomate seco ou salsa)
1 xícara de creme de arroz (ou 1 xícara cheia de creme de leite-iogurte orgânicos)
1 xíc. de azeitonas descaroçadas
4 col. de sopa de azeite
Sumo de meio limão
1 dente de alho
1 pacote de agar agar
Bater tudo no liquidificador, exceto o agar agar e metade das azeitonas.
Dissolver o agar agar em 1/2 copo pequeno (100ml) de água fervendo, levar ao liquidificador novamente , bater bem e após desligar o liquidificador, juntar o restante das azeitonas picadas. Colocar para gelar em forma untada com azeite, caso queira desenformar. Pode ser feita igualmente com pimentão vermelho cozido e orégano ou tomate seco com manjericão ou mesmo salsa pura – nos 2 últimos casos, reduza a quantidade para 1/2 xíc., para o sabor não ficar muito forte.




Uma receita muito tradicional como manjar de coco (ou pudim de leite), que tradicionalmente leva maisena ou açúcar para engrossar e dar o ponto, pode ser feita tranquilamente usando agar agar em pó no lugar, veja melhor sobre o manjar nos comentários da postagem linkada.



Para quem ama Geleia de Mocotó e consome derivados de origem animal, Neide Rigo, que escreve lindamente e cozinha igual, faz geleia de mocotó caseira a partir do tutano do boi, a receita leva açúcar, mas pode ser feita com melado ou rapadura sem problemas. Neide também aproveita o colágeno extraído de pés de galinha cozidos para fazer gelatinas doces, sem gosto residual de galinha, veja melhor em Gelatina de mocotó de pé de galinha.




Quem gosta de Galatines, as gelatinas salgadas, e também consome derivados animais, não pode deixar de conhecer a gelatina salgada de peixe sem qualquer outro ingrediente a não ser a cabeça do peixe, que sempre vai para o lixo. A receita completa está no link acima e o passo a passo na postagem Caldos: a tradição alimentar para muita gente e pouco recurso. Essa galatine de peixe, que todo mundo jura levar atum-salmão e maionese, aproveita-se toda, já que do caldo faz-se sopa de lentilha.


14 comentários:

Pauli disse...

Caramba. Nunca tinha pensado no mal da gelatina. Parece tão "dócil"!
Preciso rever meus conceitos.
Obrigada pelo alerta.

Carol Daemon disse...

Oi Pauli, parece inocente mesmo, mas só na nossa sociedade que comida azul cuja composição parece fórmula de remédio, é considerada saudável.
abs, Carol

Fada_Lin disse...

Eu já sabia a "maravilha" que a gelatina é, por isso meu filho nunca provou!

E essas receitinhas, bah, vou ser obrigada a testar, né?!

hehehe

Bjinhos
Lívia

Carol Daemon disse...

Oi Livia,
depois me avisa se suas gelatinas ficaram boas.
abs, Carol

Ti Oliveira disse...

Craol, onde compra agar agar?acho pela internet um luigar seguro?conheces?bj brigadao!
Tiana

Carol Daemon disse...

Oi Ti, agar agar vende até no mercado e nas lojinhas naturebas, vende tb no empório e em lojas de produtos orientais.
É só perguntar.

Depois volta e conta se as receitas deram certo,
Carol

A M Melo disse...

Oi carol, gostaria de saber quem vende geleia de mocoto caseira, precisava tipo p ontem p dar de presente, mas tinha q ser a caseira, obrigada
Ana Márcia
meu email eh amvm1909@gmail.com

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Olá, não sei quem vende geléia de mocotó caseira, mas há um link acima onde se ensina a fazer. Vc pode tentar.
abs, Carol

Anônimo disse...

Olá, Carol!

Seu site é muuito interessante! Obrigada por compartilhas coisas tão interessantes com a gente! Só tive uma pequena dúvida em uma receita: no creme de arroz, bate-se apenas o arroz cru? ou é necessário dar uma fervida antes de bater o arroz com água na proporção 1:4?

Muito obrigada desde já!

Abraços,

Damares Ehlert

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Oi Damares, na verdade vc faz uma papa de arroz, usando de 3 a 4 vezes a quantidade de água indicada. Depois de bem cozido, bate tudo no liquidificador. Eu falo melhor sobre o creme de arroz num tópico chamado "soja é desnecessária".
abs e vá em frente nas receitas

CaCo disse...

Faço estágio num hospital especializado em saúde materno infantil, e a gelatina e geleia de mocotó rolam soltas. Dá aquele frio na espinha só de pensar na tonelada de açúcar, corantes, e outros conservantes aquelas crianças, já debilitadas, estão consumindo.
Vou tentar comprar o agar agar para testar em algumas receitas, lembro de uma estudante de nutrição que fez diversas receitas alternativas para diabéticos em um posto de saúde do Rio, e utilizou o agar agar como bases de todas elas. Além da gelatina, pra flans, cremes, etc.
Bjos!

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Oi Caco, adoro suas colocações!
Coloca as receitas na roda, vai...
abs :-)

Franciele Câmara disse...

Tu sabes me dizer se a gelatina "incolor" é tão prejudicial quanto as "coloridas"?

Grata,
http://blogdezoitoeagora.blogspot.com.br/

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

Oi, faz menos mal por não levar açúcar, corante e aromatizante.
Mas já que não é por gula, o que justificaria o delize, pq não usar então agar agar que é exatamente uma gelatina sem sabor?