sábado, 29 de agosto de 2009

Abóbora - mil receitas



Rica em betacaroteno, vitamina A, antioxidantes e extremamente barata, a abóbora pode ser apreciada de diversas formas. A maneira mais simples é cozinhando inteira em pouca água ou no vapor, com casca e tudo para levar à mesa, quente ou fria, com um fio de azeite, salpicando sal e pimenta. A versão quente permite alguns acompanhamentos, como alho poró, tomate, pimentão, cebola, cogumelos refogados e até alho frito, azeitona, cheiro verde, coentro e manjericão por cima.
Havia deixado a receita de uma das minhas sopas favoritas, de abóbora com funghi no leite de coco (que também pode ser feita com shiitake), mas disponibilizo mais receitas, até para que a gente tenha a desculpa de comer toda semana esse legume, que além de saudável, é delicioso.


Se você é vegano ou mesmo intolerante a lactose, nunca dispense as folhas e flores do aboboreiro - aqui no Brasil, chamadas singelamente de Cambuquira - em sua simplicidade caipira, essas folhas possuem 4 vezes mais cálcio do que a mesma quantidade de leite.


Aproveite também a casca, principalmente se comprar a moranga, nada mais bonito do que servir a comida aproveitando o próprio legume como travessa.

Quando eu preparei o cuscuz de tapioca com coco, fiz o leite de coco em casa e sobrou. Como eu tinha meia abóbora japonesa hokaido e algum funghi comprado a granel (muito em conta, a quilo no empório), fiz uma sopa fácil, rápida e deliciosa com os 3 ingredientes.

Sopa de abóbora japonesa com fungui e leite de coco
Na mesma panela, cozinhei a abóbora em pedaços com o leite de coco (com pedacinhos de coco).
Enquanto fervia, o funghi ficou de molho em água fria, da torneira. Assim que ficaram bem molinhos, piquei e coei a água, reservado tudo.
A abóbora já estava cozida no leite de coco, foi só bater tudo junto no liquidificador, a abóbora hokaido pode e deve ser comida com a própria casca. Deixei descansando no próprio liquidificador.
Na panela da abóbora, refoguei meia cabeça de alho no azeite e juntei os pedaços de funghi e o caldo em que ficou de molho.
Assim que tudo ferveu, juntei o creme de abóbora com leite de coco e sal, deixando ainda apurar em fogo baixo e panela tampada por mais alguns minutos.
Na hora de servir, adicionei algumas folhinhas de manjericão da horta caseira.
Ficou muito gostoso, bastante perfumado e os sabores se complementam entre si.
Há quem faça sopa de abóbora no leite de coco com gengibre, camarão, carne seca... Particularmente, acho que roubam um pouco o gosto da abóbora e no final não se sabe direito do que é o creme, que pode ser até de batata, aipim ou mesmo cenoura - o funghi casa bem com a hokaido, não pede nem pimenta.



O Panetone integral de banana, pode e deve ser feito em versão salgada, substituindo as bananas por abóbora, inhame e mandioquinha. Veja melhor como fazer um pão de abóbora com fubá e muitas azeitonas, entre outras delícias na postagem sobre os Pães de raízes em inhame, batata doce e claro, abóbora hokaido.



Mais receitas:

Tempura de folhas e flores de abóbora (ou tempura de cambuquira), de Jamie Oliver

1 rama de flores de abóbora ou abobrinha
3 colheres de sopa de
farinha integral bem cheias
1 1/2 xícara de leite caseiro
(coco, castanhas ou pinhão)
sal marinho e pimenta à gosto
Lavar bem as folhas e flores e deixar secar
Passar na massa e então, no azeite fervendo
Jamie Oliver gosta tanto dessa receita que a recomenda até para café da manhã, vale tentar naquele final de semana em que se acordou mais tarde.
Você pode rechear a flor, antes de passar na massa, com
ricota temperada com noz moscada, sal, pimenta e ervas frescas, como manjericão e tomilho.



Pão de abóbora,
FMO- Korin
1/2 abóbora madura japonesa (hokaido) cozida
1/2 xícara de
castanha do Pará moída, reúse o bagaço do leite caseiro de castanha do Pará e assim aproveite a mesma castanha 2 vezes
1 1/2 xícara de
farinha de trigo integral
2 col. sopa de farinha de linhaça
3 xícaras de água
3 tabletes de fermento biológico
1/4 xícara de óleo vegetal de boa procedência (não use óleo de soja) - tente o
huile de noix, ideal para sobremesas
1/2 col de sopa de sal marinho
Opcional: 2 col. sopa de uva passa
Bater no liquidificador a abóbora com parte da água. Juntar na batedeira todos os demais ingredientes e adicionar a abóbora, bater por 5 minutos. A consistência deve ser de massa de bolo.
Sovar a massa em cima da pia, enfarinhada com farinha, por mais 5 minutos, a massa deve estar soltando das mãos.
Deixar descansar por mais 30 min., coberto com pano, para que a massa cresça.
Assar em forno baixo e pré-aquecido, forma untada e enfarinhada.


Tortilha de batata doce com abóbora e queijo de Minas




Kibe frito ou de forno recheado de abóbora cozida amassada




Souflée de milho verde e abóbora com queijo de cabra





Creme de milho verde com cambuquira



Sopa de abóbora com maçã verde e gorgonzola, de José Hugo Celidonio
O Celidonio tem uma coluna semanal no Globo, essa receita foi postada inúmeras vezes e, de tanto fazer, já faço de cabeça sem medidas definidas - apenas aproximadas. Fica ótima de qualquer maneira.
Refogar alho picado no azeite aromatizado
Juntar a abóbora brasileira (casca amarela) picada e descascada
Juntar a maçã ácida (verde) descascada, descaroçada e picada (mais ou menos 1 maçã para cada 1/2 Kg de abobora)
Deixar refogar
Juntar água e esperar virar um creme, não precisa nem bater no liquidificador
Temperar com sal marinho e pimenta
Salpicar gorgonzola em lascas por cima na hr de servir



Caldo de Kabosha - sopa de abóbora japonesa

500 gr de abóbora kabocha (japonesa, de casca verde escura)
1lt de água
cebolinha picada
Cozinhar a abóbora na água e bater tudo no liquidificador, com casca e tudo
Salpicar cebolinha fresca picada por cima na hr de servir
Pode ser temperada com shoyu e misso



Moranga variada, receita minha

Ingredientes obrigatórios: abóbora moranga, azeite, alho, cebola, tomate e temperos em geral. O recheio e suas variações vão depender do que a pessoa quer.
Cozinhe a abóbora moranga inteira sem as sementes num panelão com água e 1 folha de louro. Quando ela estiver molinha por dentro (espete o garfo - se entrar fácil, está pronto), coe (guarde a água) e raspe a polpa, mantendo a moranga intacta.
Com a polpa, você vai fazer o recheio.
Refogue 1 cabeça de alho moído no azeite aromatizado, junte a polpa da abóbora e um pouco da água do cozimento. Reserve
Faça outro refogado, com cebola ralada e molho de tomate no azeite e coloque o que quiser: azeitonas, palmitos, cogumelos, glúten em tiras, refogado de shitake com alho poró e chapéu de padre, carne seca orgânica (deixada de molho por causa do sal), carne de sol caseira, frango caipira desfiado... use mais da água do cozimento de precisar, o creme sempre resseca um pouco, deixe o mais “molinho” possível.
Junte o creme de abóbora ao recheio que escolheu, veja o sal e a pimenta, tempere com ervas finas e manjerona seca, junte mais da água se precisar.
Leve tudo à abóbora cozida que ficou separada, ela vai ser a “assadeira” desse creme que gratinado fica ainda melhor.
Coloque a moranga em assadeira, unte a moranga com azeite ou manteiga e leve ao forno com parmeggiano por cima ou mesmo queijo coalho picado em cubos misturado ao creme. Se for usar queijo ralado, no lugar do coalho em cubos, antes de gratinar, junte muito cheiro verde picado. Dependendo do seu recheio, manjericão ou coentro frescos também vão combinar muito. Caso tenha escolhido pelo coalho em cubos, espere gratinar para juntar os verdinhos, quanto mais fresco, melhor.
Observações: não use requeijão, só faz mal à saúde. Caso faça muita questão, junte creme de leite fresco e orgânico (ou iogurte) ao seu refogado, mas vai roubar um pouco da personalidade da receita, exigindo mais sal e temperos.
A água do cozimento pode virar um leite de coco caseiro e ser todo usado na moranga, ou mesmo no arroz integral que a acompanha, deixo link para a receita já postada.
Você pode pular a última etapa e não assar nada, não interfere no gosto, só deixa a casca da moranga mais bonita, dourada e durinha



Sorvete de abóbora com abacate para Festas Juninas



Cocada de abóbora (ou abacaxi), receita minha
1 pedaço grande de abóbora, mais ou menos 2 kgs (ou 2 abacaxis picados na ponta da faca)
500gr de coco ralado
4 copos de água
rapadura de 600gr
3 cravos da índia picados em 3 e sem as coroas
Cozinhar tudo junto, em panela semi-tampada e fogo baixo, mexendo com colher de pau.
Se fizer com abacaxi, use as cascas para fazer suco diluído em água e coloque esse suco junto com coco, mas só junte o abacaxi picado no final, quando estiver em ponto de “quase”. Como todo doce caseiro, está pronto quando começa a descolar do fundo da panela e vai endurecer depois que esfriar. Se você quer mais molinho, em ponto de colher, é bom ficar de olho. Se gosta mais “puxa-puxa” e “cascão”, deixe apurar destampado mais tempo.
Se achar que ficou pouco doce, junte mais rapadura durante o preparo, o gosto aparece logo que a abóbora desmancha, o tempo no fogo só vai determinar o ponto do doce.



Bolo de abóbora com chocolate




Bolo de abóbora com coco
1 copo de farinha de trigo integral;
2 copos de suco de laranja ou leite de coco;
½ copo de óleo vegetal de boa procedência;
1 copo de abóbora ralada;
1 copo de coco ralado;
1 copo de rapadura ralada;
1 colher de sopa de fermento químico em pó;
1 colher de café de bicarbonato de sódio;
1 pitada de sal;
Misture numa tigela a farinha de trigo com o fermento, o bicarbonato, o coco, a abóbora e o sal. Reserve.
Pré-aqueça o forno a 180º C.
Bata no liquidificador o leite de coco com a rapadura e o óleo. Junte em seguida à tigela da farinha, e mexa energicamente (ou bata com batedeira) até obter uma massa cremosa.

Coloque a massa numa fôrma com furo central untada, e asse no forno já aquecido, por aproximadamente 1 hora, ou até estar dourado por cima. 




Fico devendo uma ultima receita, do nhoque de abóbora, com recheio e molho a escolher. Sempre fiz de cabeça, mas não quero "chutar", porque receitas de farinha integral precisam ser exatas sob risco de virar uma pedra.

E as sementes também podem ser aproveitadas, basta assar com sal marinho por cima, vira um tira gosto proteico e rico em fibras, veja melhor sobre as sementes em O mito da proteína.

3 comentários:

sylribeiro disse...

todos temos algo de cinderella em nosso ser!
a neuza, dona do delicioso restaurante integrão sp, macrobiotico, tem uma sopa de abobora japonesa, com manjericão que faz muito sucesso por lá.
leva abobora, temperos, manjericão fresco e agua.
é deliciosa!

Carol Daemon disse...

Eu nem tinha me lembrado que a carruagem vira abóbora depois da meia-noite (rsrsrs).
Tb adoro manjericão fresco na sopa de abóbora, combina muito e é o tempero mais fácil de plantar na horta caseira.

Carol Daemon disse...

Deixo uma Última dica, faça as receitas de sopa em panelas de ferro ou pedra-sabão, o tempura numa de vidro, a moranga numa de inox e o doce numa de barro, ferro ou pedra-sabão.